Para Refletir

Queridos confrades da Abrame.

Rogando a proteção dos amigos da Espiritualidade maior, tomamos a liberdade de tecer alguns comentários a respeito do excepcional momento pelo qual atravessamos. A despeito de ser uma fase de grandes aflições, enormes sofrimentos e intermináveis angústias por conta da pandemia do coronavírus, entendemos que, pelo planejamento divino, tudo se encontra dentro na normalidade. Senão vejamos:

A humanidade sempre experimentou enormes calamidades coletivas, no entanto, conseguiu superá-las, com alguns contratempos, mas certa tranquilidade. É bem verdade que houve grandes sofrimentos individuais, coletivos e muitos desencarnes.

Todas as ocorrências, inclusive a atual pandemia, trazem consigo um propósito educativo-instrutivo e um ensinamento preventivo para o progresso da humanidade. A lei da evolução e do progresso nos esclarece que para haver o progresso, é necessário que haja a destruição ou a reformulação de tudo o que não se enquadre nos planos do Criador, entendendo que o Mesmo sempre deseja o que Ele julga ser o melhor para a humanidade.

No entanto, o que pensamos ser o melhor para nós, nem sempre coincide com os propósitos divinos, uma vez que continuamos sendo exageradamente egoístas e imediatistas. Por isso, o nosso tempo não é o mesmo e nem os nossos objetivos coincidem com os propósitos do Criador que, por Sua vez, sempre sabe o que é melhor para a criatura e o momento exato de atender as nossas solicitações.

Nessa conformidade, o Criador, de tempos em tempos, faz as necessárias correções nos rumos da nossa caminhada, a qual, frequentemente, não podemos modificar. E, posto não sermos dotados da necessária humildade e resignação para acolhermos as Suas sábias orientações, chegamos a inferir que Ele pretenda essa correção de forma traumática. Justamente por agirmos de forma egoísta e individual, olvidamos que somos todos filhos do mesmo pai e, portanto, todos irmãos. Por conseguinte, devemos nos preocupar também com os outros seres alienígenas, possivelmente habitantes de outros planetas.

Neste momento, temos de aplicar o que um grande filósofo da antiguidade, do alto de sua sabedoria, nos recomendou, “conhece-te a ti mesmo”, em cujo aforismo está implícita a seguinte lição: observe se não há necessidade da reformulação nos seus pensamentos e na sua conduta pessoal.

Considerando sermos uma comunidade global, o Criador poderia ter fomentado uma guerra atômica, direcionada a alguma região do planeta, no entanto, disseminou essa pandemia, propiciando-nos a oportunidade de uma profunda reflexão e mudança radical em nosso pensamento e forma de agir, com o propósito de aprofundarmos as rogativas do Mestre Jesus, que sempre recomendou: “Amai-vos uns aos outros, como eu sempre vos amo”.

Para a concretização desse pedido, temos de exercitar o puro amor incondicional, a fraternidade, a solidariedade e a caridade, exatamente da forma como estamos sendo forçados a praticá-las neste momento tão angustiante e desafiador, obrigando-nos a uma mudança radical em nossa forma de pensar e, principalmente, em nossos procedimentos.

Como costumamos dizer em algumas participações em grupos de trabalho, para cumprir as recomendações do Mestre Jesus bastam algumas providências pessoais muito simples e aqui vão elas: “correto pensar e reto agir”, ou, vice versa: “Reto pensar e correto agir”. Se assim agirmos e com o aprimoramento do amor para com o próximo, não há como cometermos enganos.

Essa pandemia provocou o recolhimento das pessoas em suas casas, as quais, muito além de abrigos seguros, são LARES, onde de fato ocorrem as incontestáveis interações entre seus ocupantes e as genuínas práticas do amor ao próximo mais próximo, com quem, via de regra, temos algo a resgatar de vidas passadas, ou mesmo desta.

Pensemos ainda que muitos nem casa ou abrigo possuem, onde possam constituir um lar. Apesar disso, constatamos que inúmeros irmãos conseguem vencer diversos obstáculos, a ponto de conseguirem superar os percalços da caminhada e dar uma formação integral a todos os integrantes da família.

Sem dúvida, essa pandemia está nos propiciando a oportunidade ímpar de uma ampla reflexão e, por conseguinte, de autoconhecimento, possibilitando exercitarmos a caridade, a solidariedade, a fraternidade e o amor, não apenas ao nosso próximo mais próximo, mas, sobretudo, aos que estão mais distantes e efetivamente necessitando de ajuda e socorro de qualquer ordem, afinal, como já dissemos, somos todos filhos do mesmo pai e, portanto somos todos irmãos.

Desse modo, conclamamos a todos para que intensifiquem a fé no Criador, no Mestre Jesus e em toda sua magnífica equipe celestial, pois somente com a fé inquebrantável poderemos nutrir a necessária esperança de que teremos um melhor porvir, ou seja, o mundo regenerado.

Muita Paz a todos e que o Criador nos abençoe.

Mario Motoyama
Últimos posts por Mario Motoyama (exibir todos)